Alamanda roxa – Allamanda blanchetti

Alamanda roxa - Allamanda blanchetti

.

Arbusto escandente, pertence à família Apocynaceae, nativa do Brasil, da região do Nordeste ate o Piauí e Maranhão, perene, de crescimento moderado, sublenhoso, escandente, de até 3 metros de altura e muito ornamental.

Folhas verticiladas sésseis, lanceoladas ou oblongas, cerosas, áspero-pubescentes, de 6 -12 cm de comprimento.

Inflorescências terminais ou axilares, com flores de cerca de 10 cm de diâmetro, solitárias ou em pequenos grupos, de “cores envelhecidas”, roxas na espécie típica, mas com formas que vão de branco-creme ao amarelado e róseo-arroxeado. Surgem quase o ano todo, com mais intensidade na primavera-verão.

Fruto são cápsulas ovóides, espinhosas, com diversas sementes.

Usada tutorada como trepadeira, cobrindo arcos, treliças e caramanchões; também em conjuntos formando maciços isolados ou renques junto a muros e cercas.

.

Cuidados com a Alamanda roxa

Clima: Tropical, Subtropical, Mediterrâneo. Não tolera o frio intenso.

Cultivada a pleno sol, em solo fértil, rico em matéria orgânica, drenável e com regas esparsas.

Adubar a planta no inverno com composto orgânico, acrescida de 100 gramas de farinha de osso e durante os períodos de floração, usar fertilizante químico NPK 4-14-8, seguindo a orientação do fabricante.

As flores da Alamanda roxa geralmente são geradas em brotos jovens, podas tardias ou muito curtas podem resultar em florescimento pobre.

.

Planta Tóxica

Por ser uma planta tóxica, deve se ter o cuidado de mantê-la longe do alcance de crianças pequenas e filhotes de cães.

.

Propagação

Multiplica-se por sementes e principalmente, por estaquia de ramos enraizados em estufas, particularmente quando se deseja a manutenção das características de determinada planta.

.

Alamanda roxa - Allamanda blanchetti

.

.