Dracena Vermelha – Cordyline terminalis

Dracena vermelha -Cordilyne terminalis red sister

Arbusto semi-lenhoso, pertence a família Liliaceae, nativo da Índia, Malásia e Polinésia, de caule ereto, perene, de 1-3 metros de altura.

Folhas coriáceas e espessas que medem de 30-60 centímetros de comprimento, tem pontas pendentes e concentram-se no poro terminal, formando tufos e rosetas. Quando jovem, apresenta uma folhagem de coloração carmesim-clara. Adulta, dependendo da variedade, pode adquirir diferentes tons de verde, bronze ou vermelho róseo.

Flores de cor rosa-lilás, perfumadas e aparecem reunidas em panículas terminais, as quais sucedem cachos de bagas vermelhas. Surgem no outono.

É cultivado em vasos, em fileiras junto a paredes, muros ou formando conjuntos.

Clima: tropical, Subtropical. Em regiões de climas mais frios, a planta prefere sol pleno e em regiões mais quente meia-sombra.

Cultivada em solo areno-argiloso e rico em matéria orgânica, bem drenado e com regas regulares. Não tolera o encharcamento.

A adubação deve ser feita a cada seis meses, sendo uma vez com matéria orgânica, como esterco de boi bem curtido, torta de mamona ou composto orgânico, aproveitando para afofar a terra e outra com NPK 10-10-10.

Para obter plantas de aspecto escultural, mais cheias e ramificadas, basta fazer sucessivas podas do caule principal e nas ramificações posteriores, estimulando assim um maior numero de brotações. Para que haja ramificações baixas, muitas vezes torna-se necessário uma poda drástica, pouco acima do solo.

Multiplica-se por sementes no fim de agosto ou setembro e por estacas.

.

Dracena vermelha -Cordilyne terminalis red sisterCordyline terminales “Red Sister”

.

Dracena vermelha -Cordilyne terminalis RubraCordyline terminales “Rubra”

.

.