Dragoeiro – Dracaena draco

Dragoeiro - Dracaena draco

.

Árvore, pertence à família Ruscaceae (Dracaenaceae), nativa das Ilhas Canárias, perene e muito ornamental.

De crescimento extremamente lento, Leva cerca de 10 anos para atingir cerca de 1,5 m, mas pode atingir o tamanho de uma grande árvore em centenas de anos, podendo ultrapassar 15 metros de altura.

Tronco único, robusto, cinzento e rugoso, quando a planta é muito antiga a copa se divide, formando um efeito copa candelabro.

Folhas simples, coriáceas, de cor verde-acinzentada, de até 60 cm de comprimento e 5 cm de largura, de ápice agudo e dispostas em roseta terminal.

Inflorescências longas, com 60–120 cm de comprimento, glabras, bipinadas, com numerosas flores perfumadas, de cor verde- esbranquiçado, compostas por seis peças unidas na base.

Com cerca de 10-15 anos de idade, o caule pára de crescer e produz seu primeiro florescimento. Em breve aparece uma coroa de botões terminais e a planta começa a se ramificar. Cada ramo cresce por cerca de 10-15 anos e se ramifica, então uma planta madura tem um hábito parecido ao guarda-chuva.

Fruto é uma baga globosa que mede entre 14-17 mm de cor alaranjada quando maduro.

Em paisagismo é usada em parques e jardins como espécime isolado ou em grupos formando maciços e quando jovem pode der usada em vaso.

.

Cuidados com a Dracaena draco

Clima: Subtropical seco. Clima ameno e agradável durante todo o ano sem mudanças bruscas de temperatura entre o dia e a noite.

Cultivada a pleno sol ou meia sombra, em solo com boa quantida de matéria orgânica.

Plantanda no jardim, não precisa de regas. Quando estabeleciada é tolerante à seca.

Quando mantida em vaso, o solo deve ser úmido, mas não encharcado.

Adubar com fertilizantes solúveis de liberação lenta.

A Dracaena draco pode permanecer em vaso por muitos anos e não ultrapassa 1,20 cm.

A planta pode ser transplantada em qualquer idade sem problemas.

É altamente resistente a pragas e doenças.

.

Sobre a Dracaena draco

Talvez a árvore mais antiga se encontre na cidade de La Orotava, na Ilha de Tenerife no arquipélago das Canárias. Localmente chamada de ‘ Milenar Árvore-do-dragão’, é dito que a espécime possui de 250-365 anos de idade.

A seiva forma uma resina translucente, que quando exposta ao ar, oxida e torna-se de cor vermelho sangue. Essa substância era vendida a alto preço na Europa como sangue de dragão, era utilizado em farmacologia com o nome de sanguis draconis, sendo nas Canárias um importante produto de exportação.

.

Propagação

Multiplica-se por sementes e por estacas.

Por estacas, basta remover uma seção ramificada no nó, com uma extensão de até 1 m e plantar em uma mistura arenosa em pleno sol e estacioná-lo para que ele não se mova, tendo cuidado para não quebrar.

Por sementes, manter as sementes plantadas fora da luz solar direta, em uma mistura arenosa e umida, em uma temperatura entre 18-30 C . Após um mês, as sementes germinarão e produzirão pequenos rebentos verdes.

Transplante cada germinação em um vaso de planta separado de 12cm de diâmetro preenchido com uma mistura 50-50 de solo esterilizado e turfa. Coloque os vasos em uma posição exterior parcialmente ensolarada.

.

Dragoeiro - Dracaena draco

.

.