Flor da abissínia – Kalanchoe delagoensis

Flor da abissínia - Kalanchoe delagoensis

.

Herbácea, pertence à família Crassulaceae, nativa de Madagascar, anual, suculenta, ereta, não ramificada, de 0,50-1 metro de altura e muito ornamental.

Folhas cilíndricas, verde azuladas com manchas arroxeado-escuras transversais, em cujos ápices formam-se aglomerados de mudinhas, de 10-12 cm de comprimento.

Inflorescências terminais corimbosas, de pedúnculo longo que as dispõem bem acima da folhagem, com flores tubulosas, vistosas, de cor vermelho-alaranjada. Surgem no outono.

A Flor da abissínia morre após a floração e os novos rebentos podem surgir das raízes.

Usada na decoração de jardins, formando maciços e também se desenvolvem bem em vasos. Muito cultivada em jardins de pedra.

.

Cuidados com a Flor da abissínia

Clima: Tropical, Subtropical, Oceânico, Mediterrâneo, Temperado.

Cultivada a pleno sol ou meia sombra, desde que receba no mínimo 4 horas de sol direto por dia.

Não é exigente quanto ao solo, desde que seja bem drenado, com regas esparsas. O excesso de água pode causar podridão nas raízes e proliferação de fungos. Tolerante a seca, pois guarda muita água em suas folhas.

.

Planta Tóxica

A Flor da abissínia é uma planta que contém toxinas na seiva. Manter a planta longe do alcance de crianças e animais.

.

Propagação

Multiplica-se por pequenas mudinhas que ao cair no chão, enraízam e começam a crescer, formando uma nova planta e por mudas que surgem na base da planta adulta.

Em algumas áreas é considerada uma erva daninha, devido a grande capacidade de reprodução, porém suas raízes são superficiais e podem ser removidas com facilidade.

.

Flor da abissínia - Kalanchoe delagoensis

.

Flor da abissínia - Kalanchoe delagoensis

.

.